Síndrome Metabólica

O QUE É? | A Síndrome Metabólica não é uma doença, mas sim um conjunto de sinais e sintomas que tornam as pessoas mais suscetíveis a desenvolverem determinadas doenças.

Ela tem como maior característica a ‘resistência à insulina’, que se dá pela necessidade do pâncreas em produzir uma carga de insulina superior ao esperado para que aconteça a absorção de glicose (açúcar) no organismo. O problema é que o pâncreas geralmente não consegue suprir essa produção exagerada de insulina, o que pode gerar, por exemplo, um quadro de Diabetes tipo 2.

Pesquisas mostram que a prevalência da síndrome se dá em homens e mulheres a partir dos 60 anos.

FATORES DE RISCO

  • Sedentarismo
  • Maus hábitos alimentares
  • Tabagismo
  • Menopausa
  • Predisposição a diabetes
  • Faixa etária acima de 40 anos

 CRITÉRIOS PARA DIAGNÓSTICO

  • Obesidade abdominal – que é caracteriza por medidas de circunferência abdominal (homens a partir de 102 cm e mulheres 88 cm)
  • Taxa de Triglicerídeos – acima de 150 mg/dL
  • Colesterol HDL (“colesterol bom”) – abaixo de 40mg/dL em homens e 50mg/dL em mulheres
  • Pressão Arterial maior ou igual a 130/85 mmHg
  • Glicemia de jejum acima ou igual a 100mg/dL

É necessário apresentar, no mínimo, 3 dos critérios mencionados para a realização do diagnóstico. Lembrando que esta avaliação deve ser sempre médica

CONSEQUÊNCIAS DA SÍNDROME

Uma das principais consequências da síndrome é o seu “efeito potencializador”, como por exemplo:

Se uma pessoa possui hipertensão e essa condição for somada a alta glicêmica e obesidade, tais fatores associados podem ser potencializadores uns dos outros, já que ambas são doenças ligadas ao metabolismo.

Pessoas diagnosticadas apresentam aumento (de 2 a 5 vezes maior) para o desenvolvimento de doenças graves como Diabetes tipo 2, infarto miocárdio, insuficiência renal, entre outras.

EXPLICAÇÃO GERONTOLÓGICA – TRATAMENTO

Para tratar a Síndrome Metabólica é necessário cuidar dos fatores de risco já mencionados. Para isso, mudanças no estilo de vida como a reeducação alimentar e atividades físicas são fundamentais. A abordagem farmacológica, ou seja, a introdução de medicamentos acontecerá se os fatores de risco, em especial os riscos cardiovasculares, persistirem.

Dessa forma, contar com apoio de uma equipe interdisciplinar faz toda a diferença! Estabelecer metas terapêuticas reais, ou seja, objetivos de tratamento dentro das possibilidades de cada pessoa, somente é possível com a avaliação e acompanhamento da equipe de saúde (médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, educadores físicos, enfermeiros, cuidadores).

Apesar de ser mais prevalente na velhice, a Síndrome Metabólica não é exclusiva desta fase. Por isso, os cuidados com a saúde são importantes ao longo de toda a vida!

Redação: Gabriela Vitória – Gerontóloga da Yano Cuidadores de Idosos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.