Controle de Medicamentos com o Vidafone Fixo

Muitos idosos precisam consumir medicamentos regularmente e isso pode ser um grande problema quando sabemos que uma das características do avanço da idade é o esquecimento.

Estima-se que 30% dos idosos que tomam remédios esquecem de seguir os horários prescritos, o que, comprovadamente, reduz a eficácia do tratamento.

As complicações aumentam ainda mais quando se trata da dosagem. Cada medicamento pode ter várias apresentações (comprimidos, cápsulas, gotas, xarope etc.) e, em caso de ingestão da quantidade ou concentração errada, as reações em idosos podem ser muito severas.

Com a idade avançada, a atividade enzimática do fígado diminui, o que afeta a metabolização dos medicamentos. O fluxo sanguíneo e as funções renais também declinam, dificultando a excreção e prolongando, assim, os efeitos colaterais.

Na hora certa

Você já ouviu falar em Cronofarmacologia?O tema é tão importante que existe uma ciência que estuda a melhor hora para tomar o remédio.Não existe hora universal para todos os fármacos, pois cada doença tem maior incidência em determinado período.Com isso, deve ser administrado no horário prescrito pelo médico, para que a eficácia seja maior e o efeito colateral, menor.Mas, e como fazer quando o idoso tem dificuldade em memorizar as informações dadas pelo médico?

Você já ouviu falar em Cronofarmacologia?

O tema é tão importante que existe uma ciência que estuda a melhor hora para tomar o remédio.

Não existe hora universal para todos os fármacos, pois cada doença tem maior incidência em determinado período.

Com isso, deve ser administrado no horário prescrito pelo médico, para que a eficácia seja maior e o efeito colateral, menor.

Mas, e como fazer quando o idoso tem dificuldade em memorizar as informações dadas pelo médico?

Tecnologia para tomar o remédio

É comum que os idosos sintam dificuldade de lembrar das coisas.

Para não esquecer do horário do medicamento, alguns recorrem ao despertador. Para não errar na dose, usam caixinhas de pílulas diárias para separar a quantidade certa.

O problema é que, se o despertador não tocar ou o idoso não abrir a caixinha, não vai tomar o remédio e ninguém fica sabendo.

Para solucionar essa dificuldade, os familiares podem adotar a tecnologia para o controle de medicamentos.

Vidafone Fixo é um sistema de emergência pessoal com um botão de emergência, em que a pessoa pode chamar ajuda com um simples toque. Neste equipamento, entre outras funções, é possível configurar lembretes de medicamentos, que serão disparados nos horários programados conforme necessidade do usuário.

Além disso, o Vidafone Fixo é compatível com diversos acessórios e um deles é o Dispensador Eletrônico de Medicamentos.

É um dispositivo circular com 28 espaços (nichos) e possui um sensor de atividade interno. Emite um alerta através do Vidafone Fixo nos horários agendados e a medicação é liberada pelo dispositivo. Ao retirar os comprimidos, o console do Vidafone recebe um sinal que houve a atividade prevista. Caso o usuário não pegue os medicamentos liberados pelo dispensador, o sistema enviará um sinal para a Central avisando que a ação não está completa.

Dessa forma, as chances do idoso trocar ou esquecer de tomar o remédio são quase nulas, pois o sistema acompanha toda a atividade e, a cada situação atípica, os familiares são notificados.

Por isso, é importante escutar a necessidade do usuário na hora de oferecer a melhor solução, pois os acessórios facilitam muito o dia a dia de quem usa e agregam valor à venda.

Fonte: www.tecnosenior.com

Recomendações:

A Yano Cuidadores oferece um aparelho com rastreador de GPS, a sua função é localizar idosos que moram sozinhos(as), em caso de um problema de saúde ou queda o aparelho acionará a central de atendimento 24 horas 7 dias por semana, no qual a atendente entrará em contato com a paciente, caso não houver retorno o plano de ação será acionado.

RASTREADOR PESSOAL